Desvantagens da Cloud

Assim como em outras tecnologias a computação nas nuvens não é diferente quando falamos em desvantagens. As desvantagens da cloud estão diretamente ligadas ao armazenamento das informações e principalmente a segurança destas que são primordiais ao bom funcionamento das empresas. Dentre as principais desvantagens podemos citar segundo Sttefen (2011):

  • Arquivos Fora da Empresa: as informações são armazenadas em servidores fora da empresa, geralmente localizadas em outros países, tornando assim uma fragilidade em seu armazenamento, além de que o armazenamento em outro país pode infringir leis e regulamentação referente a proteção dos dados.
  • Backup dos Dados: o que por um lado pode ser uma vantagem quando um terminal estraga, e a nuvem proporciona o acesso imediato às informações apenas trocando de terminal, pode se tornar uma grande desvantagem. O backup da nuvem (serviço) é obrigação da empresa contratada e em tese esta fara o backup automático ou não, de período em período, porém não há uma garantia ao contratante de que este serviço está sendo realizado de forma correta, nem ao menos de que está sendo feito, situação que não acontece quando o backup é em um servidor físico localizado dentro da empresa, o qual tem um responsável para isso e o mesmo deve prestar contas ao responsável pela empresa.
  • Conexão com a Internet: para a computação nas nuvens funcionar, como sua plataforma é toda online, é indispensável o uso de uma conexão com a internet para utilizar seus serviços. No mundo empresarial uma perda de conexão, mesmo por um instante, tem resultados catastróficos referentes à produção e ao faturamento das empresas, pois atualmente quase todos os processos são automatizados através da internet. Resumidamente, se uma empresa utilizar todos seus recursos armazenados na cloud, e mesmo que por um instante a internet deixe de funcionar todos os processos da empresa pararam, trazendo baixas nas produções e diminuição de faturamento (perca de dinheiro).
  • Interoperabilidade: é o fator que consiste na capacidade dos arquivos e programas serem rodados em diferentes tipos de nuvem, assim o contratante não fica restrito somente a uma fornecedora de serviço. Embora muitas empresas invistam em padrões e interfaces para possibilitar essa portabilidade ainda há muito que evoluir.
  • Confiabilidade: essa questão está relacionada com a frequência de falhas da nuvem e seu impacto (perda ou não de dados).  A nuvem deve possuir uma arquitetura onde permita que mesmo havendo falhas os dados não sejam perdidos. A confiabilidade dos dados está ligando diretamente a política de segurança e backup das informações.

Sobre @MaurivanSB

Todos os dias você deveria fazer algo que te de muito medo ... Isso lembra que você ainda vive ...
Galeria | Esse post foi publicado em Cloud, Tecnologia e marcado . Guardar link permanente.